Image Map


22/04/2018
Olá Criativos, tudo bom?
 
    Vamos falar mais um pouquinho sobre a feira Patchwork Design? Hoje venho contar uma grande novidade da feira para todos vocês, principalmente as bonequeiras, e dar um spoiler sobre a exposição ” Boneca de Pano é Gente” que teremos na 18ª Patchwork Design.
    Desde a Antiguidade, o fascínio pelas bonecas esteve presente em quase todas as civilizações como representação da arte, fantasia e religiosidade. Hoje a confecção de bonecas de pano é a que mais cresce no mercado de artesanato, atraindo admiradores e colecionadores de várias idades. 
 
    Na mostra “Boneca de Pano é Gente” – Exposição Internacional de Bonecas , o público poderá conhecer 27 bonecas de vários estados brasileiros e de outros países, com destaque para a boneca “Mumbi – Deusa da Criação” da artista plástica queniana Naomi Wanjiku. Naomi é agenciada pela galeria de arte inglesa “OctoberGallery” e já apresentou obras no Brasil na exposição Contemporâneo em 2013 e no museu Afro Brasil em São Paulo em 2015.
 
    O público que visitar a exposição poderá participar da oficina do projeto “Boneca de Pano é Gente”, e confeccionar pequenas bonecas com mensagens lúdicas e de otimismo que serão distribuídas para pacientes infantis em hospitais oncológicos.
    Segundo a artesã paulista e especialista em bonecas de pano Cris Lind, coordenadora da ação, a ideia do projeto é criar uma corrente de positividade convidando os visitantes da exposição a participarem das oficinas gratuitas e assim levarem um pouco de amor e alento para as crianças e suas famílias.
 
    “Boneca de Pano é Gente” é uma homenagem a “boneca/gente” Emília criada por Monteiro Lobato, personificação dessa fantasia no inconsciente coletivo do brasileiro a partir dos 40 anos, afirma Zeca Medeiros, curador da exposição. “Objeto que alimenta fantasias infantis em milhões de lares mundo afora e acompanha o homem há milênios, a boneca povoa até mesmo o inconsciente de adultos” conclui.
Boneca Lila – Artesã Amanda Steyka
    Na opinião de Perla Rafaelly, uma das expositoras e curadora da exposição, o mercado de bonecas de pano hoje é amplo e está em crescimento direcionado para o público adulto e infantil. Algumas pessoas fazem por hobby, terapia, para presentear ou para vender e fazer renda. Segundo a artesã, no mundo do artesanato do pano onde o tecido é a matéria prima principal, as bonecas já tomaram um espaço significativo entre 35 a 40% e vem crescendo cada vez mais. “As feiras de artesanato e as redes sociais são grandes colaboradoras para esse crescimento. Existem expositores ou artesãos que sustentam suas famílias com as vendas de bonecas, matérias e moldes para confecção das mesmas e workshops para ensinar a confeccionar as bonecas”, finaliza.
    Um dos motivos que fez a confecção de bonecas de pano no Brasil deixar de ser apenas a fabricação de um brinquedo infantil e abraçar um público e um mercado maior foi a influência sofrida pela artista norueguesa Tonne Finnanger em 1999, que com 25 anos de idade criou a boneca Tilda, uma boneca totalmente de pano, cabelos de lã com uma particularidade: não possuir boca, apenas olhos pretos e bochechas rosadas. Essas características, segundo Tonne, seriam para a boneca falar com o coração. 
Tonne Finnager
    Depois vieram influências das bonecas russas que são articuladas e ficam de pé sozinhas, das bonecas Waldorf confeccionadas de forma artesanal com a utilização (inclusive no enchimento) de materiais totalmente naturais: malha e tecido de puro algodão e feltro e fios de lã pura de carneiro, das bonecas Country trazendo a cultura americana nas cores e formas, das bonecas de escultura têxtil e soft onde a boneca é modelada minuciosamente com linha e agulha recebendo formas e feições, entre outras.
    “Nas feiras onde reunimos artistas de várias regiões do Brasil podemos observar muitas influências étnicas e culturais de cada região”. As bonequeiras da região Sul, por exemplo, são muito detalhistas, capricham muito no uso de acessórios, bordados, rendas, pinturas e detalhes feitos manualmente. Já as bonequeiras da região Nordeste trazem muito mais alegrias com colorido, variedade nas texturas e estampas dos tecidos, explica Perla.
Boneca da expositora Perla Rafaelly
    Entre os trabalhos apresentados na exposição “Boneca de Pano é Gente” está a boneca Frida, da artesã de Aracruz/ES, Ana Paula Cavalari. A boneca ganhou medalha de bronze na Exposição de Arte Bunkyo em 2015. Ana Paula é dona do Estúdio Cavalari e desenvolveu o projeto Bonecas do Bem, que doa uma boneca para uma criança em necessidade para cada duas bonecas vendidas.
    Gente estou super curiosa para ver essa exposição e vocês? Eu estarei visitando a feira no dia 25, então se você estiver lá, me chama para bater papo que vou adorar.
 
Espero todos lá! Um grande beijo e tchauuuu!
 
18ª Edição da Patchwork Design – Feira de produtos e serviços, oficinas gratuitas e exposição “Boneca de Pano é Gente”.
 
Data: 25 a 28 de abril
Local: Clube Monte Líbano – Rua Borges de Medeiros, 701 – Lagoa
Horário: 13h às 19h
Entrada: R$ 24,00 inteira e R$ 12,00 meia
Site: http://www.bializ.com/patchworkdesign/

 

Compartilhe com os amigos
comentários0

  • Vamos falar sobre a Mega Artesanal?
  • O Canal Voltou!
  • Startup Weekend Women Rio 2017